Carla Carreira, Macolis: ‘O processo de sucessão tem de ser cuidadosamente planeado’

No ano em que a Macolis completa 37 anos de atividade, e acaba de ser distinguida pelo IAPMEI como PME Excelência 2020, pela qualidade do seu desempenho, partilhamos uma entrevista de Carla Carreira, administradora da empresa e membro da Rede Mulher Líder, ao Jornal de Negócios, sobre um tema que mantém até hoje a sua pertinência e atualidade: sucessão em empresas familiares.

Para a empresária, que entrou em 1996 na gestão da empresa com o irmão, a convite do pai, o processo de sucessão é ‘desafiante e complexo’ e deve ser ‘cuidadosamente planeado’.

Quando assumiram as novas funções, os dois irmãos já tinham experiência de trabalho na empresa de soluções climatização há algum tempo.

‘Integrámos a equipa de gestores depois de um processo de cisão e de especialização da empresa, com aquisição da totalidade do capital social por Luiz Carreira, um desafio colocado pelo nosso pai, que aceitámos com apoio incondicional ao projeto empresarial reestruturado’, partilha Carla Carreira.

Reconhecendo que os riscos associados à sustentabilidade do negócio podem ser maiores nas empresas familiares, a gestora afirma que ‘se existirem regras claras definidas num protocolo familiar esse risco é atenuado’.

‘E uma das ‘regras’, daquelas que não é preciso ficarem escritas em qualquer protocolo, prende-se, na sua opinião, com ‘a necessidade de uma maior preparação e reforço de competências de gestão’ nas empresas, através do ‘investimento individual ao nível da formação dos elementos da família que assumem a gestão da empresa’.

Carla Carreira considera ‘fundamental manter a identidade e princípios da empresa familiar. A sua cultura é intocável e tem de ser salvaguardada e protegida na passagem de gerações, embora naturalmente acompanhada de novos e modernos processos e instrumentos de gestão.’

Aceda aqui à versão integral do artigo publicado pelo Jornal de Negócios e Jornal de Leiria: