Luísa Ferreira de Almeida, Quinta do Arneiro: ‘As pessoas confiam em nós e isso é uma coisa que nunca podemos esquecer’

Sempre teve uma forte ligação à terra, mas nada fazia prever que a atividade agrícola viesse a ter um papel central na sua vida.

Hoje, Luísa Ferreira de Almeida, jurista de formação, vive a agricultura biológica com paixão e gere o seu negócio a partir da quinta da família, em Mafra.

Tudo começou em 2007 quando decidiu trocar a atividade livreira, que desenvolveu durante mais de uma década em Torres Vedras, para abraçar uma nova aventura, que lhe garantia um retorno às origens. ‘Sem fazer ideia no que me estava a meter’, relata Luísa com graça.

O pai da empresária foi produtor durante muitos anos de pera rocha, e Luísa Ferreira de Almeida sempre teve vontade de ver a Quinta do Arneiro voltar-se para a pluricultura, e explorar uma agricultura mais amiga do ambiente, aproveitando as oportunidades de um mercado em ascensão.

Em conversa com o jornalista Augusto Freitas de Sousa, para o podcast Boa Vida da TSF, a empresária afirma que a ligação ao consumidor final sempre foi uma prioridade no seu modelo de negócio.

‘Sempre quisemos vender diretamente ao consumidor final, porque achávamos muito importante ser identificados por aquilo que fazemos’, afirma Luísa.

Foi o mercado biológico de Cascais, que permitiu à empresa fidelizar os primeiros clientes e testar o modelo de negócios atual, que se baseia no fornecimento de cabazes diretamente em casa dos consumidores.

De acordo com Luísa Almeida, a empresa fornece ‘neste momento mais ou menos 900 cabazes por semana’, oferecendo aos clientes, a partir do site da Quinta do Arneiro, a possibilidade de personalizarem o seu cabaz, escolhendo ‘produto a produto o que vão receber em cada semana’.

Como complemento da atividade, a Quinta do Arneiro dispõe ainda de um restaurante, ligado à produção biológica da quinta, num espaço muito agradável que abre portas aos fins de semana, e tem também capacidade e versatilidade para acolher eventos especiais ou corporativos.

Quanto aos clientes, Luísa Ferreira de Almeida afirma que ‘são do mais diverso possível, mas têm mais ou menos em comum o facto de se preocuparem com a aquilo que comem’.

‘As pessoas confiam em nós e isso é uma coisa que nunca podemos esquecer’, conclui a empresária, que já tem os seus quatro filhos, Duarte, Tomás, Rodrigo e Carlota, ligados ao negócio.



Aceda aqui ao conteúdo integral do podcast Boa Vida, emitido pela TSF.