Gestão feminina entre a mais resiliente no combate aos impactos da COVID-19

A Informa D&B acaba de revelar que ‘cerca de 42% das empresas lideradas por mulheres mostraram um nível de resiliência financeira elevado ou médio-alto’, na resposta aos desafios relacionados com a gestão da pandemia COVID-19, em 2020, de acordo com dados-síntese do seu estudo anual sobre liderança feminina em Portugal, agora divulgados.

Independentemente da severidade do impacto sentido no setor em que operam, e sabendo-se que as atividades económicas mais expostas aos efeitos da crise pandémica são também aquelas onde existe maior presença de mulheres em cargos de gestão, foram estes níveis de resiliência que lhes garantiram respostas mais eficazes em termos de estratégias de combate à crise, por comparação com outras empresas.

Cerca de 1/3 das funções de liderança e gestão nas empresas em Portugal, durante o ano passado, foram asseguradas por mulheres, valores que denotam ‘um crescimento lento, mas consistente’, de acordo com o estudo da Informa D&B.

34% dos poderes de decisão nas empresas nacionais são exercidos por mulheres, mas quando se fala em empresas lideradas por mulheres esse valor desce para 26,7%, o que evidencia um longo caminho ainda por percorrer no sentido da paridade.

Em 2020, foram criadas em Portugal 9347 novas empresas lideradas por mulheres, um valor que representa um decréscimo de 23% face ao ano anterior, marcado pela conjuntura recessiva, que afetou de igual maneira o empreendedorismo masculino.


Aceda aqui a mais informações sobre os dados revelados pela Informa D&B.